"A imaginação é mais importante do que o conhecimento."

Albert Einstein


Tomada de consciência: 3 fatores do século XXI

O século vinte e um se anuncia dramático para espécie humana.Tensões de todo tipo se acumulam, que vão desde a saturação do espaço vital até as inovações tecnológicas, com conseqüências imprevisíveis.

Como a espécie humana reagirá a estas tensões?

Uma primeira fonte de tensão é o crescimento populacional com conseqüente esgotamento de recursos não renováveis como a água, a insuficiência de recursos renováveis, a evolução brutal do clima com conseqüências na extinção de espécies vivas. A situação se faz mais complexa em face da aparição de pandemias causadas pela conjunção de alterações no clima, mais mobilidade de pessoas, e pelo colapso das estruturas sanitárias. 

Um segundo elemento desafiador de previsões é a evolução tecnológica. Para a manotecnologia convergem os saberes de campos como as ciências da matéria, as técnicas da informática e da biologia.

O terceiro e o último elemento, o mais complexo, é como reagirão os seres humanos, que comportamentos o encontro desses fatores provocará em nossa espécie.  

O efeito de pandemia como a da AIDS não tem sido apenas de matar grande parte da população africana, sobretudo os jovens, mas também de desagregar as estruturas sociais dos países africanos. A ameaça recente de uma epidemia de gripe aviária pôs a nu as fragilidades de estruturas internacionais para enfrentar um tal flagelo, e o fantasma de uma desagregação atingindo todo o planeta.

A voracidade com que os Estados Unidos defendem o petróleo, essencial ao seu "way of life", também não augura nada de bom em caso de penúria.

Só uma improvável tomada de consciência de um destino comum, planetário, poderá nos salvar de uma regressão atávica, uma volta a selva e a animalidade.

As guerras que já presenciamos hoje são apenas os primeiros sinais dessa regressão. É preciso ter os olhos abertos para a gravidade do que nos espera já que só assim algumas medidas preventivas poderão ser levadas a sério.

 CELIM - Todos os direitos reservados - 2017